fbpx
Nalva Rafael | 21/11/2019
Voltar

Como abrir uma empresa de Infoprodutos?

Você não tem planejamento nem tampouco dinheiro mas tem uma grande ideia e quer colocá-la em prática? Você se julga criativo? Você acha que um empreendedor, hoje, precisa estar alinhado a moldes tradicionais de produtos e serviços?

Sinto em lhe dizer que todo este tempo você, simplesmente, deixou de somar para outras pessoas e deixou, principalmente, de ganhar dinheiro!

Quer saber como? Continue aqui e vamos sintetizar isso para você!

Aquela ideia que a muito lhe persegue e ficou guardadinha aí no cantinho do pensamento, pode, quem sabe, ser colocada em prática após um bate papo.

Mercado de Infoprodutos

É um ambiente virtual onde todas as relações de negócios acontecem de uma forma rápida e eficiente, ou seja, informação digital que pode ser disponibilizada de forma gratuita ou paga que visa resolver o problema de quem o consome, como por exemplo: e-books, aplicativos, videoaulas.

Podemos dizer que os agentes desse mercado são os infoprodutores e os afiliados. Nesse caso os infoprodutores são os que concebem as ideias ao passo que os afiliados são os que divulgam esses infoprodutos e caso a venda seja efetuada ganham um percentual dela.

Espero que tenha percebido que esse mercado pode ser a mudança que você tanto espera. A ideia que você tem hoje pode ser a ideia que mudará sua vida!

Benefícios

Empreendedores que não conseguem se encaixar no mercado de trabalho tradicional se encaixam perfeitamente no infoprodutores. Se o que você procura é liberdade, bem-vindo a esse mundo.

Tanto infoprodutores quanto afiliados, devidamente formalizados, tem uma liberdade maior, tem a oportunidade de passar um tempo a mais com a família, e quando se está satisfeito com o que faz o retorno, tanto financeiro quanto profissional, é imensamente gratificante e estimulante!

Como se inserir nesse mercado?

Sabemos que o mercado de infoprodutores é algo relativamente novo mas não será por esse motivo que montar seu negócio será algo dificultoso.

O que você precisa identificar:

1º – Estudo de mercado;

Quando se faz um estudo de mercado a probabilidade de fazer com que seu negócio dê certo só aumenta e com isso reduz seus riscos possibilitando solidez do mesmo. Infoprodutores precisam estudar muito o mercado ao qual desejam entrar. Precisam descobrir produtores, infoprodutores, plataformas, Gateway de Pagamentos, ferramentas, e por aí vai.

2º – Descubra oportunidades no seu negócio digital;

Ao identificar essa oportunidade é importante descobrir a atividade econômica e assim dar seguimento ao restante do processo. É muito relevante saber o CNAE de seu negócio.

O que seria esse CNAE? Para quem ainda não sabe, CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas), é uma lista que contém diversos códigos de atividades econômicas com critérios utilizados para realizar o enquadramento das empresas no código correto. Esta listagem foi criada com intuito de formalizar um padrão nacional para categorização de empresas pelos órgãos.

Nesse mercado digital já tem alguns CNAES mais comuns para quem se torna infoprodutor e/ou afiliado. Veja abaixo:

  • 8599-6/04 – Cursos ou treinamentos.
  • 7319-0/03 – Marketing Direto (classificação para afiliados).
  • 6319-4/00 – Atuação com dados na internet, busca, entretenimento e outros conteúdos na web.
  • 5811-5/00 – Edição de livros
  • 7319-0/02 – Promoção de vendas.

3º – Identifique a natureza jurídica do seu negocio;

Após descobrir a oportunidade em que poderá atuar é preciso identificar a natureza jurídica desse negócio. Vou te mostrar algumas possibilidades:

  • Sociedade Limitada Unipessoal: O empresário pode abrir seu próprio negócio sem precisar de um sócio, proteger seu patrimônio particular (apenas o patrimônio da Pessoa Jurídica responde pelas dívidas e obrigações da Empresa). E não precisar de um capital mínimo de 100 vezes o salário mínimo, como acontece na EIRELI. É importante destacar que essa modalidade foi criada esse ano, pela medida Provisória 881/2019, a chamada MP da Liberdade Econômica.
  • Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI): Na EIRELI o patrimônio particular do empresário é protegido, e apenas o patrimônio da Pessoa Jurídica responde pelas dívidas e obrigações da Empresa.  Apesar que para abrir uma EIRELI o empresário precisa integralizar um valor correspondente a 100 vezes o salário mínimo, onde muitas vezes esse capital social mínimo é um problema para o empresário, pois não tem esse valor na hora de abrir a empresa.
  • Empresário Individual (EI): No Empresário Individual o patrimônio particular do dono se confunde com o patrimônio da empresa. Isso quer dizer que as dívidas e obrigações da empresa podem atingir os bens pessoais do sócio.
  • Sociedade Limitada: Na Sociedade Limitada é necessário ter dois ou mais sócios. Neste modelo o patrimônio particular dos empresários é protegido e apenas o patrimônio da Pessoa Jurídica responde pelas dívidas e obrigações da empresa.
  • MEI: É um empreendedor individual, que pode faturar até R$ 81.000,00 ao ano, exercer somente as atividades permitidas a serem MEI e ter apenas 1 funcionário. Quem é MEI não pode abrir nenhum outro tipo de empresa.

4º – Defina o regime tributário;

Essa definição fará toda a diferença em sua empresa. Como regime tributário temos o SIMEI, Simples Nacional e Lucro presumido.

SIMEI – É a tributação do MEI. O imposto a ser pago será num valor fixo, em torno de R$ 55,00 reais, independente se teve faturamento ou qualquer outra movimentação na empresa;

Simples Nacional – o imposto a ser pago será de acordo com o faturamento bruto mensal, seguirá a tabela do Simples Nacional;

Lucro Presumido – é uma forma de tributação simplificada para determinar a base de cálculo do IRPF (imposto de renda pessoa física) e CSLL ( contribuição social sobre lucro liquido);

A Unicont dispõe de um conteúdo que fala especificamente sobre os tipos de tributações, e que poderá auxiliar muito nessa definição. Clique aqui para ler o conteúdo.

5º – Defina nome e endereço da sua empresa;

Verifique junto a Junta Comercial o nome escolhido para sua empresa e solicite a Consulta Prévia a sua Prefeitura. Esses dois pontos evitarão que você corra o risco de perder tempo fazendo um processo de abertura de empresa que poderá ser negado pelos órgãos.

Vale ressaltar que existem algumas regras para compor o nome empresarial, como por exemplo, ao abrir uma empresa escolhendo natureza jurídica de Empresário Individual, obrigatoriamente, o nome empresarial (ou também conhecida como razão social) deverá ser com base no nome do empresário, incluindo a atividade no final do nome.

Exemplo: José Almeida Silva

O nome empresarial da empresa dele poderá ser J. A. Silva Treinamentos

Quando falamos de endereço da sua empresa, é relevante destacar que para empresas de infoprodutos, por serem conhecidas como nômades digitais, o mais adequado é abrir um escritório virtual. A Unicont, em todos os seus planos, disponibiliza uma sede virtual para você abrir sua empresa.

6º – Tenha o contrato social;

O contrato social registra, perante o governo, todo o funcionamento do negócio. Elaborar esse tipo de contrato definirá o ramo e o objetivo da empresa, além de aspectos como sociedade, o capital social da empresa e muitas outras coisas. Esse documento é essencial para a formação de sociedades em micro, pequenas, médias e até mesmo grandes empresas. Podemos comparar o contrato social à Certidão de Nascimento de um cidadão ou, até mesmo, à Constituição de um país, ele dá origem a uma empresa, determina qual o formato de sociedade, quais as áreas de atuação, como ela funcionará, de que maneira será utilizado o patrimônio dessa empresa além de diversas outras informações essenciais.

Com a formalização de uma sociedade juntamente ao CNPJ dá ao empreendedor o direito de abertura de conta corrente como pessoa jurídica, emissão de notas fiscais, obtenção de empréstimos e outras vantagens. Por isso o registro de um Contrato Social junto a uma Junta Comercial (cada empresa de seu respectivo estado) é exigido para registro de sociedade.

Existem alguns pontos que devem ser cumpridos independentemente do tamanho do empreendimento que se pretende registrar. São eles:

  • Sede da empresa e locas de atuação;
  • Qualificação de sócios;
  • Atividades desenvolvidas pela empresa;
  • Serviços prestados;
  • Direitos e deveres dos sócios;
  • Porcentagem de participação de cada sócio;
  • Deveres e tarefas dos administradores;
  • Regras da sociedade;
  • Remuneração dos sócios e dos administradores;
  • Tipo da sociedade.

É importante lembrar que Contrato Social é apenas para sociedades, no caso de empresário individual é chamado de Instrumento de Empresário Individual. E, para MEI, o que substitui o instrumento de empresário individual/contrato social é o Certificado de Condição de Microempreendedor Individual que pode ser emitido pelo portal do MEI.

7º – Tenha um CNPJ;

De posse de seu contrato social você deverá levar na junta comercial, juntamente com seus documentos pessoais e de seu sócio, caso tenha um, após esse registro receberá o NIRE – Número de Identificação do Registo de Empresa) e logo após a liberação de seu CNPJ.

8º – Obtenha Inscrição Estadual junto a Secretaria de Fazenda;

Com a liberação de seu CNPJ a Inscrição Estadual é gerada pelo SEFAZ (Secretaria da Fazenda do Estado). A inscrição estadual é obrigatória para quem comercializa. No caso de infoprodutor é muito importante saber qual o processo e o produto que será vendido, pois em alguns casos, poderá ser considerado como venda e não como serviço. Fique atento a isso.

9º – Obtenha Alvará de funcionamento junto a Prefeitura de seu município;

Antigamente era obrigatório obter o alvará de funcionamento, mas saiu uma MP (Medida Provisória) que retira a necessidade de qualquer tipo de licença e alvará para atividades de baixo risco, independentemente do tamanho da empresa. Nesse caso caberá às prefeituras definir o que são atividades de baixo e alto risco. No caso de infoprodutores, normalmente, ficam enquadradas como baixo risco.

10º – Autorização para emissão de notas fiscais;

Empresas prestadoras de serviços tem essa autorização concedida pela prefeitura. Dependendo de onde sua empresa se instalará esse procedimento poderá ser feito de forma virtual ou presencial.

Já no caso de emissão de Nota de Venda, e necessário a contratação de um sistema para emissão de nota fiscal.

Em caso de infoprodutos o volume de geração de notas fiscais é altíssimo e fica inviável a emissão manual das notas fiscais. Para automatizar esse processo é importante ter uma ferramenta onde estará integrado com sua plataforma de venda, e emitirá automaticamente as notas de cada cliente. Fazendo isso você consegue economizar tempo!

Para te ajudar nesse processo nós indicamos o eNotas, a ferramenta mais usada pelos infoprodutores. Quer conhecer mais sobre o eNotas, é só clicar aqui.

11º – Abertura de conta bancaria Pessoa Jurídica

Você já possui um CNPJ, há a obrigatoriedade de abrir uma conta pessoa jurídica? Essa é uma das perguntas mais comuns entre os empresários. A ideía de abrir uma conta bancaria exclusivamente para a empresa pode parecer um pouco exegerada, mas é o recomendável.

Inicialmente, por se tratar de uma empresa sem funcionários ou gastos específicos, muitos acabam se esquecendo de separar suas contas pessoais das contas da empresa, mas esse é um erro de planejamento que pode ser crucial para o seu negocio. Sendo assim, a obrigatoriedade não existe, mas é imprescindível para percepção de suas receitas, despesas e lucros.

Lembrando em sua conta empresarial deve constar apenas os gastos com impostos e despesas da sua empresa. No caso das microempresas, em geral os dados apresentados são:

  • Entrada de dinheiro por meio de pagamentos dos clientes
  • Saída para pagamento dos impostos do Simples Nacional (DAS)
  • INSS, para quem faz a retirada de pró-labore
  • Despesas com a contabilidade
  • Tarifas bancárias
  • Retirada para o sócio (seja por distribuição de lucros ou pro-labore)

É claro que podem existir movimentações extras como: Plano de Saúde Empresarial, um eventual aluguel, conta de telefone, entre outros.

Ufaaa! Vocês devem ter percebido formalizar sua empresa não é difícil e sim trabalhoso, correto? Por isso a Unicont acredita que você, infoprodutor e afiliado, precisa focar na dinâmica de seu negocio e deixar a parte “trabalhosa” com quem tem prática e preza pelo crescimento da sua empresa.

Clique aqui e conheça nossos planos de Contabilidade para Infoprodutor!

Modificado por Miriane Barreto em 20 de agosto de 2020 as 13:40

PUBLICADO POR

Nalva Rafael

Edinalva Rafael é administradora empresarial, mãe do Pedro, apaixonada por livros de romance e redatora de conteúdo na Unicont.
                
    

Comentários Seja o primeiro!

Nenhum comentário para esta postagem!


Deixe o seu comentário!
    

Receba no seu E-mail as principais notícias, dicas e informações do nosso blog.

×

Ei!

Está precisando de um contato mais ágil? Fale conosco pelo WhatsApp clicando ali em baixo, ou então nos mande um e-mail: contato@unicontservicos.com.br

× Como posso te ajudar?